Andar de bicicleta em Londres para totós e descobrir outros lados da cidade

IMG_20160724_133508

A ideia que se tem do trânsito em Londres é caos. Para quem não se sente confortável com as regras de trânsito, andar de bicicleta nesta cidade pode ser daquelas coisas que induz suores frios e que traz ao de cima o pior de cada um.

Eu sofro de todos os de cima. Irrito-me com outros ciclistas, condutores e peões, enervo-me até quando estou a mudar de estrada e só me sinto verdadeiramente confortável quando estou em ciclovias.

Mas Londres tem uma infinidade de canais e rios cujos eram utilizados para os transportes de carga antes da invenção do vapor. As mercadorias eram transportadas em barcos puxados por cavalos que caminhavam num passeio ao lado do curso de água. Já não se transportam muitas mercadorias em barcos e os cavalos já não têm que os puxar, mas ficaram os passeios, que hoje se transformaram em rotas naturais urbanas. Passear à beira de um rio ou um canal em Londres põe-nos imediatamente no meio da Natureza e os caminhos são rotas de ciclismo concorridas por ciclistas de Domingo como eu.

Desta vez o passeio fez-se pelo vale do rio Lee/Lea a partir de Stratford/Hackney Marshes. A primeira parte do caminho é extremamente industrial. A zona do Parque Olímpico sofreu uma regeneração enorme antes dos Jogos, mas a área imediatamente a Norte ainda é bastante industrializada e muito pouco cuidada. Mas 40 minutos são suficientes para se chegar a um dos segredos mais bonitos de Londres – a reserva Natural do Rio Lea. Já a fiz a pé no Inverno e a vegetação multicolor é mais interessante, mas o verde incansável do Verão é uma visão agradavel e regeneradora.

Antes de entrarmos na zona mais verdejante encontramos o Riverside Café. A comida é excelente (o Bacon Roll em brioche é qualquer coisa), não é cara e há o bónus da vista para o rio  . Não é fácil encontrar-se um café despretencioso, que não seja hipster e que seja agradável, mas o ratio de simplicidade e qualidade do Roverside Café desarmou-nos.

Continuámos o nosso passeio na velocidade mais rápida que as minhas pernas permitiram até ao Lea Valley Park. É sossegado, tem uma enorme variedade de fauna e flora e oferece paisagens diametralmente opostas às que estou habituada todos os dias. Em cima de uma bicicleta é difícil tirar fotografias mas aqui fica um link para fotografias deste oásis.

Voltámos para trás e apanhámos o comboio a partir de Walthamstow Cross até Liverpool Street e encontrámos algumas dificuldades em transportar bicicletas no comboio. O meu conselho é que pesquisem em que carruagens existem compartimentos com espaço para o transporte de grandes volumes.

Passear à beira de canais ou rios urbanos em dias solarengos é um dos meus passatempos preferidos em todas as estações. Já o fiz com neve, na primavera enquanto a vegetação rebentava, a explorar a palete das cores de Outono e agora a ouvir o vento a restolhar na vegetação densa do Verão.

Estes caminhos são muito fáceis de aceder e aqui está um mapa de onde os podem encontrar.

 

 

 

 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s